Você sabe o que são os medicamentos biológicos?

Palestra elucidou dúvidas sobre os biossimilares e a importância da relação médico-paciente para o tratamento

A Biored Brasil realizou o WorkBio – Workshop de capacitação de líderes de associações de pacientes sobre medicamentos biológicos e biossimilares. O evento contou com a parceria da CLAPBio e #GAfPA, com o apoio institucional da SBR – Sociedade Brasileira de Reumatologia, Sociedade Racionalista e Gediib – Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal do Brasil.

Abrindo o dia de palestras, o médico oncologista, Dr. Paulo Vernaglia, do Instituto Paulista de Cancerologia abordou em sua palestra “Entendendo os medicamentos imunobiológicos”, questões conceituais e informações gerais sobre o assunto. Confira os destaques deste dia!

O que são os medicamentos biológicos?
De acordo com informações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), os medicamentos biológicos “são moléculas complexas de alto peso molecular obtidas a partir de fluidos biológicos, tecidos de origem animal ou procedimentos biotecnológicos por meio de manipulação ou inserção de outro material genético (tecnologia do DNA recombinante) ou alteração dos genes que ocorre devido à irradiação, produtos químicos ou seleção forçada”.
Em linhas gerais, os medicamentos biológicos, como o próprio nome diz, utilizam células vivas ou microorganismos, diferentemente dos medicamentos convencionais, como antiinflamatórios e antibióticos, que são feitos com técnicas de síntese sintetização química. “Os biológicos são produzidos por meio de células vivas, que são cultivadas por semanas ou até meses”, explica o oncologista. Atualmente, existem mais de 250 medicamentos biológicos no mercado. Entre os principais estão a insulina para o tratamento do diabetes e anticorpos monoclonais utilizados no tratamento de doenças autoimunes e do câncer.

O que são os medicamentos biossimilares?
“Um medicamento biossimilar é um produto similar em termos de qualidade, segurança e eficácia em relação a um produto biológico já registrado”, destaca Dr. Vernaglia. Ou seja, o biossimilar é desenvolvido quando o medicamento biológico de referência deixa de estar protegido por uma patente. Sendo assim, é permitido que medicamentos similares ao de referência sejam introduzidos ao mercado, assim como os medicamentos genéricos.

Medicamentos sintéticos x medicamentos biológicos e biossimilares
A principal diferença entre um medicamento sintético e um medicamento biológico e biossimilar é a alta complexidade de produção. “O medicamento sintético pode ser replicado de forma idêntica. , ou seja, Ou seja, basta copiar o princípio ativo o ingrediente ativo para se ter uma cópia fiel do medicamento de origem. Já com o medicamento biológico e biossimilar isso não é possível, pois a matéria-prima é composta por organismos vivos”, explica o médico. Apesar de não serem idênticos, todos os biossimilares passam por estudos que comprovam a sua segurança e eficácia. Confira matéria sobre a intercambialidade entre medicamentos biológicos e biossimilares (https://wp.me/p7JTeq-54g).

A importância da relação médico-paciente

Dr. Paulo Vernaglia destacou que a terapia com biológicos é um assunto que precisa ser conversado cada vez mais na sociedade, envolvendo não somente os médicos e pacientes. “Apesar de não ser novidade, ainda há muito desconhecimento sobre os medicamentos biológicos e, consequentemente, sobre a biossimilaridade. Precisamos engajar os pacientes, a classe médica, os órgãos regulatórios e os representantes da capital federal para ampliar as discussões sobre o tema”.

A relação médico-paciente também foi um ponto de destaque na palestra. O tratamento com medicamentos biológicos e biossimilares é complexo e envolve muitas questões que devem ser analisadas com empatia e calma. O médico é o profissional responsável por elucidar as dúvidas e orientar da melhor forma possível o paciente, mas “para isso é preciso estimular e fortalecer a relação paciente e médico”, pontuou Dr. Vernaglia. O especialista também destacou a importância da educação continuada para os médicos.

Palestra proferida durante o WorkBio – capacitação para líderes de pacientes sobre medicamentos biológicos e biossimilares, que aconteceu na cidade de Brasilia, no dia 26 de julho de 2018, organizado pela Biored Brasil com apoio institucional da Sociedade Brasileira de Reumatologia, Sociedade Brasileira de Dermatologia, do Grupo de Estudos de Doenças Inflamatórias Intestinais e da ClapBio.

Deixe o seu comentário