ANS aprova procedimento de Terapia por Pressão Negativa para úlceras de pé em diabéticos no Rol de Cobertura Mínima de Procedimentos e Eventos em Saúde

Esse ano, apenas 3,5% dos procedimentos propostos foram aprovados

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) oficializou a inclusão no Rol de Procedimentos da Agência um novo procedimento, a Terapia por Pressão Negativa para tratamento de úlceras (feridas) de pé em diabéticos. Esta inclusão assume um papel ainda mais relevante, pelo fato de, no Brasil, o diabetes atingir cerca de 6% da população.

A decisão da ANS garante o acesso às consultas médicas, tratamentos e diagnósticos pelo Rol de Cobertura Mínima de Procedimentos e Eventos em Saúde, com a cobertura obrigatória de certos tratamentos pelos planos de saúde. Ele é atualizado a cada dois anos e, em 2020, foram 1.137 submissões, sendo 671 delas especificadamente para procedimentos e com apenas 19 (3,5%) aprovações pela ANS, após análises e consulta pública número 158.

De acordo com o Consenso Internacional do Pé Diabético (2019), úlceras de pé em diabéticos está entre as complicações mais graves do diabetes mellitus. É uma fonte de grande sofrimento e custos financeiros para o paciente, e também representa um fardo considerável para a família do paciente, profissionais de saúde, instalações e para a sociedade em geral. A estimativa é que entre 19 a 34% dos pacientes com diabetes irão desenvolver a UPD, uma causa comum de amputações não traumáticas, que ocorre em 15% dos diabéticos. Sua taxa de mortalidade é de 5% nos primeiros 12 meses e 42% em cinco anos.

Entre as soluções oferecidas, a 3M™ possui as terapias 3M™ SNAP ™ e 3M™ ACTIV.A.C.™, indicados para a tratamento por pressão negativa de úlceras (feridas) em pés de diabéticos. Esses processos são de fácil aplicação, silenciosos e portáteis quando comparados ao sistema convencional, o que oferece mais agilidade e mobilidade para os pacientes ambulatoriais.

As terapias por pressão negativa 3M™ são sistemas que ajudam a promover uma cicatrização úmida através de pressão subatmosférica controlada e localizada. As tecnologias são programadas para produzir uma pressão negativa no leito da ferida, promovendo um ambiente que propicia a cicatrização, com a possibilidade de reduzir as frequentes intervenções cirúrgicas, reduzindo assim o custo e o tempo do tratamento, consequentemente melhorando a qualidade de vida do paciente.

“Essa é uma excelente notícia para a população que tem diabetes, que poderá contar com um tratamento mais efetivo e assertivo por meio de seus planos de saúde. As tecnologias de terapia por pressão negativa da 3M™ permitem um cuidado mais rápido e com diminuição dos riscos de complicações que esses ferimentos poderiam trazer aos pacientes”, comenta Laercio Martins, gerente de acesso ao mercado da 3M do Brasil.

Para mais informações acesse o site http://www.ans.gov.br/ .

Sobre a 3M

Na 3M, aplicamos a ciência de forma colaborativa para melhorar vidas diariamente. Com cerca de 96 mil funcionários conectados com clientes em todo o mundo, a 3M atingiu US﹩ 32,2 bilhões em vendas globais em 2020. No Brasil, o Grupo 3M conta com cinco fábricas instaladas no Estado de São Paulo, que compõem a 3M do Brasil, além da empresa 3M Manaus, instalada no Amazonas. Em 2020, alcançou faturamento bruto de R﹩ 4,5 bilhões no País, onde conta com cerca de 3.300 funcionários. Conheça nossas soluções criativas no site http://www.3M.com.br, no Blog de Curiosidade da 3M ou em nosso perfil no Instagram @3MBrasil.

Fonte: Assessoria de imprensa.

Deixe uma resposta