CONITEC aprova incorporação pelo SUS do medicamento da AbbVie para Hepatite C Crônica

A companhia global biofarmacêutica, anunciou que seu tratamento totalmente oral para Hepatite C (medicamento que combina as moléculas ombitasvir, veruprevir/ritonavir e dasabuvir), foi aprovado pela CONITEC (Comissão Nacional para Incorporação de Novas Tecnologias) para ser incorporado ao Sistema Único de Saúde.

Resultados preliminares do estudo TOPÁZIO-III, recentemente apresentados no Encontro Anual da Associação Americana para o Estudo das Doenças do Fígado – AASLD (Boston, Novembro, 2016), demonstraram que tratamento de 12 semanas com o medicamento da AbbVie para HCV, em 222 pacientes GT1, com infecção crônica, eliminou o número de vírus circulante em 97 % dos pacientes com fibrose hepática avançada e em 96 % dos pacientes com cirrose hepática compensada.

O medicamento composto pela combinação das moléculas ombitasvir, veruprevir/ritonavir e dasabuvir é aprovado pela ANVISA para pacientes com infecção crônica pela Hepatite C, genótipo 1 (GT1), incluindo pacientes com ou sem cirrose compensada, com ou sem experiência anterior de tratamento, ou ainda para aqueles que não foram curados por tratamento anterior com interferon. O TOPÁZIO III é um estudo de Fase 3b, não-randomizado, de protocolo aberto, multicêntrico, para avaliação da eficácia e segurança do tratamento da AbbVie para HCV, com ou sem o antiviral ribavirina (RBV), em 222 pacientes brasileiros com HCV crônica, GT1, com fibrose avançada ou cirrose compensada.

“A AbbVie está trabalhando com o Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais, do Ministério da Saúde, para que maior número de pacientes tenha acesso a esse tratamento, ao mesmo tempo em que buscamos contribuir com a sustentabilidade do Departamento”, afirmou Camilo Gomez, Gerente Geral da AbbVie, Brasil.

Compromisso com o Brasil
Como parte do compromisso da AbbVie de colaborar com as comunidades médica/científica e de pacientes no Brasil, a empresa conduziu os seguintes estudos clínicos e epidemiológicos no país em HCV, incluindo 30 centros de pesquisa e mais de 700 pacientes brasileiros:
· Estudo TOPÁZIO-III², envolvendo 16 centros de pesquisa, em cinco estados brasileiros, com pacientes com GT1 e infecção crônica de HCV.
· “Hepatite C no Sistema Público de Saúde: Padrões de Tratamento e Impacto da Doença”, estudo epidemiológico³ envolvendo pacientes GT1, com infecção crônica de HCV, conduzido para identificar padrões de tratamento no sistema público de saúde e seus resultados nos pacientes.

Impacto do HCV – A Hepatite C é causada pelo vírus C da Hepatite (HCV). Segundo o Ministério da Saúde, entre 1,4 e 1,7 % da população brasileira tem Hepatite C, sendo mais prevalente em pessoas acima de 45 anos. HCV é a infecção mais comum do sangue, afetando mais de 3 % da população mundial, equivalente a aproximadamente 160 milhões de pessoas. HCV é transmitido por sangue contaminado, como por exemplo durante transfusões, compartilhamento de agulhas ou alicates de unha/cutículas contaminados, ou transmissão de mãe para filho durante o parto.

Sobre ombitasvir, veruprevir/ritonavir e dasabuvir
O tratamento da AbbVie para HCV consiste na dose diária da combinação dos inibidores de protease veruprevir/ritonavir, coformulados com ombitasvir (inibidor de NS5A), e duas doses diárias de dasabuvir (NS5B inibidor de polimerase não-nucleotídeo), administrado com ou sem ribavirina.

Fonte: Noticias Terra

Deixe o seu comentário